Outubro 28 2009

Podemos considerar a Gestão do Conhecimento como um modelo interdisciplinar, dentro de um determinado contexto, que visa a criação, codificação e partilha do conhecimento, potenciando os processos de aprendizagem de uma forma generalizada, bem como a inovação, com recurso a ferramentas tecnológicas a par de rotinas organizacionais.

O conhecimento é, muitas vezes, visto como o resultado das relações dos seres humanos com as comunidades e redes sociais em que os mesmos estão inseridos, normalmente através do estabelecimento de rotinas organizacionais, construindo assim um conhecimento empírico. Por outro lado, são as próprias pessoas que vão influenciar e interagir com as redes onde estão inseridas e assim modificar e acrescentar valor à própria constituição e organização das mesmas. Quanto maior for uma determinada comunidade, maior a diversidade de indivíduos, de ideias, de perspectivas e, por conseguinte, maior o conhecimento.

 

Alguns dos aspectos e possibilidades que se devem ter em consideração quando se pensa na Gestão do Conhecimento são:

  • Gerar novo conhecimento;
  • Incentivar e fomentar na comunidade a participação na construção do conhecimento;
  • Criar relações duradouras com os intervenientes nos processos de valorização;
  • Permitir o acesso a conhecimento válido de fontes externas;
  • Utilizar o conhecimento e as ferramentas acessíveis para a tomada de decisões;
  • Incorporar o conhecimento em processos, produtos e/ou serviços;
  • Representar o conhecimento em documentos, bases de dados e software;
  • Facilitar o crescimento do conhecimento através de uma cultura de partilha e de incentivos;
  • Transferir o conhecimento existente para outras partes da organização;
  • Medir e avaliar o valor dos elementos activos de conhecimento e do impacto da gestão de conhecimento.


mais sobre mim
Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

19
20
21
22
23
24

25
26
27
29
30
31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO